Especial Dia dos Pais: 38% deles não se sentem representados na publicidade

Quais são os caminhos para construir campanhas que retratem o novo momento da paternidade?

Qual é a cara do novo pai brasileiro? O Google Surveys, ferramenta que realiza pesquisas de mercado, investigou essa pergunta e chegou a um estudo inédito no Brasil. A pesquisa apontou que 38% dos pais não se sentem representados nas propagandas. O motivo? O papel dos pais nas famílias brasileiras mudou.

Leia mais: 

Design Thinking, a empatia e a experiência do consumidor.

Marketing de conteúdo: comunicação aliada ao pensamento estratégico.

Conteúdo bom não atrai cliente! Tem que ter mais!

Para 41% dos pais que participaram da pesquisa, o estereótipo de “pai perfeito” não se enquadra na realidade. 32% deles afirmaram que se sentem incomodados com o estereótipo de pai com um papel secundário na criação dos filhos. 27% não se sentem representados pela imagem do pai que está sempre trabalhando e é pouco presente na vida doméstica.

Quando questionados sobre o que gostariam de ver nas propagandas neste Dia dos Pais, 35% responderam que preferem ser retratados como pais que dividem igualmente com a figura materna a responsabilidade de criar os filhos.

Estes resultados revelam que é necessário rever a imagem do pai na publicidade, entendendo que o debate atual sobre igualdade de gêneros tem trazido ao homem um novo entendimento sobre a sua própria masculinidade. Com um papel mais ativo e presente nas tarefas domésticas, que também envolve a criação dos filhos, os pais modernos estão começando a repensar a estrutura familiar tradicional e conservadora.

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontam que mais de 80% das crianças têm como primeiro responsável uma mulher. O debate sobre uma paternidade mais ativa se tornou uma pauta frequente na internet. Dados de pesquisa do Google revelam que a participação do pai na criação dos filhos é uma busca frequente na ferramenta.