De A a Z: glossário de marketing digital


Não raro os profissionais e entusiastas do marketing digital se deparam com termos estrangeiros e/ou técnicos, normalmente abreviados em siglas, que são fundamentais para a compreensão de contextos e cujos significados nem se imagina.

Compilamos aqui os principais termos deste universo e explicamos cada um. Adicione este post à sua lista de favoritos e, quando bater a dúvida, é só clicar! Se tiver sugestões para adicionar aqui, comente! O intuito é deixar este material cada vez mais completo e mantê-lo sempre atualizado e disponível.

Os conceitos estão separados por tópicos.

INBOUND MARKETING

O próprio significado de inbound marketing muitas vezes gera dúvidas. É importante esclarecer, portanto, que inbound marketing denomina um conjunto de estratégias com o objetivo de atrair e converter clientes de maneira voluntária. Isto é feito de modo a criar uma relação com o consumidor, que será educado através de conteúdos criados especificamente para ele.

A terminologia própria do inbound marketing é completa e levemente complexa. Confira:

AIDA: acrônimo que abrevia o processo de conversão. Significa atenção, interesse, desejo e ação. É um modelo criado com base no comportamento humano e no processo natural de tomada de decisão.

Alinhamento marketing-vendas: os times de marketing e vendas precisam estar alinhados para que os vendedores saibam aproveitar as oportunidades passadas pelos “marketeiros”. É fundamental que as responsabilidades estejam definidas e que cada um saiba seu lugar no processo de conversão.

Automação de marketing: mecanismos que permitem que as ações de marketing sejam automatizadas. O termo costuma ser utilizado em referência ao disparo de e-mails específicos para nutrir o relacionamento com o cliente.

Brainstorming: a “tempestade cerebral” ou “tempestade de ideias” é uma dinâmica em grupo normalmente utilizada para encontrar soluções criativas e/ou para ter desenvolver ideias e projetos inventivos.

Briefing: instruções objetivas e concisas para orientar atividades ou tarefas.

Call-to-action (CTA): a “chamada para a ação” designa comandos enviados a usuários para que eles realizem determinada ação “a mando” da empresa. É o que normalmente precede a conversão.

Case: relato/exposição de uma experiência de sucesso. Utilizado para “provar” para o cliente que determinado serviço ou produto traz resultados positivos.

Co-branding: união de duas marcas para agregar valor e potencializar os resultados de ambas.

Conversão: quando o cliente concretiza a ação desejada pela empresa, como preencher um formulário, concretizar uma compra ou responder um teste, houve conversão.

CRM: sigla para Customer Relationship Management (Gestão de Relacionamento com o Cliente). Refere-se a estratégias de negócios focadas na interação com o cliente e no relacionamento mantido com ele. Normalmente realizada por softwares, esta gestão visa a antecipação dos desejos do consumidor, a otimização da rentabilidade da empresa e a assertividade na captação de novos clientes.

Edge rank: algoritmo do Facebook que determina o que é mostrado no feed de notícias de cada usuário. Baseado em afinidade (presença ou ausência de interações com determinada página/contato), formato de post (link, vídeo, imagem ou texto) e há quanto tempo a postagem foi feita (quanto mais recente, mais chances de aparecer).

Endomarketing: marketing interno normalmente utilizado pelas empresas para motivar, educar, aumentar a produtividade e o rendimento dos colaboradores.

Follow-up: acompanhamento/monitoramento das ações realizadas.

Landing page: traduzida como “página de aterrissagem”, uma landing page representa qualquer página criada com o propósito de conversão. O tipo mais comum é a página com formulário para transformar visitantes em leads.

Lead: visitante que fornece informações de contato e está interessado na sua empresa. É o cliente em potencial.

Links patrocinados: anúncios pagos em destaque em páginas de resultados de buscas. São exibidos de acordo com as palavras-chave utilizadas na busca.

Mailing list: lista de contatos normalmente utilizada para envio de e-mail marketing.

Nutrição de leads: técnica de automação de marketing na qual enviam-se e-mails contínuos para conduzir o lead até aproximá-lo do momento da compra.

Outbound marketing: contrapondo-se ao inbound marketing, o outbound marketing lança mão de técnicas de marketing tradicional, como outdoors, comerciais de televisão, anúncios em revista, etc. As estratégias não são focadas em um público específico.

Pagamento social: oferecer descontos/bônus em produtos em troca de postagens em redes sociais. Ajuda a alcançar mais pessoas e a aumentar o número de leads.

Retargeting: exibição de anúncios após uma busca específica de um usuário. Se alguém procura por livros, por exemplo, e entra em sites de livrarias, anúncios destas empresas aparecerão nos banners de publicidade. Isto acontece graças aos cookies presentes no computador do usuário.

Segmentação de leads: nome dado à prática de segmentar a base de contatos de acordo com um critério específico, como localização geográfica, idade ou interesses comuns, por exemplo.

SEM: search engine marketing. Conjunto de estratégias cujo objetivo é colocar determinado site no topo dos mecanismos de busca. Costuma ser dividido entre SEO e anúncios em links patrocinados.

SEO: search engine optimization. Mecanismo para aumentar os acessos em determinado site através de técnicas e estratégias para colocá-lo no topo dos mecanismos de busca.

Squeeze page: landing page focada na captação de e-mails.

Taxa de conversão: porcentagem de visitantes que realizam a conversão esperada.

Tráfego orgânico: visitas ao site que não foram resultado de anúncios pagos/links patrocinados.

Tráfego pago: visitas ao site que surgem a partir de anúncios pagos/links patrocinados.

Webinar: conteúdo em vídeo disponibilizado para o público. Pode ser gratuito ou pago e tratar de qualquer assunto. Entre os formatos estão palestra, debate, aula, etc. Pode ser ao vivo ou gravado.

VENDAS

Muitos termos utilizados nas estratégias de inbound marketing também são usados para referir-se às vendas: leads, AIDA, conversão… são conceitos que se encaixam em diferentes processos de conquista de clientes através da tomada de decisão.

Aqui, vamos abordar alguns termos específicos de quem trabalha com marketing de vendas, aquele voltado especialmente a um serviço ou produto comercializado no mercado.

Advertiser: anunciante.

Advertising: propaganda.

Break-even-point: ponto de equilíbrio entre despesas e receita, ou seja, ponto máximo em que um serviço pode ser mantido sem gerar prejuízos. Margem em que se pode trabalhar sem lucro e sem perdas.

B2B: business to business, ou seja, empresa para empresa. Termo utilizado para classificar empresas que vendem produtos ou serviços a outras empresas.

B2C: business to costumer, ou seja, de empresa para cliente. Classifica empresas que vendem diretamente ao consumidor final.

CEO: sigla para Chief Executive Officer, conhecido como presidente ou diretor geral. Designa um dos cargos mais altos de uma empresa; acima dele, só o dono ou sócios.

Cold call/cold mail: contatos feitos pela primeira vez. Call refere-se a ligações e mail a e-mails. A taxa de conversão é baixa, mas, quando convertem, o processo é mais rápido e objetivo.

Dumping: venda com preços baixíssimos para dominar determinado segmento.

Fee: preço fixo de honorários combinado entre agência e cliente.

Floor pricing: manutenção do preço mínimo para tentar atrair clientes mais sensíveis a valores altos.

Funil de vendas: pirâmide invertida que representa os diferentes estágios do consumidor durante processo de venda. É dividido em topo de funil (ToFu), meio de funil (MoFu) e fundo de funil (BoFu).

  • Topo de funil (ToFu): estágio inicial de um lead no processo de venda. Ainda não há previsão para efetivação da compra. Os materiais de comunicação com um ToFu devem ser introdutórios e objetivos.
  • Meio de funil (MoFu): estágio intermediário do lead. Aqui, o interesse pelo seu produto ou serviço já foi despertado, e o intuito deve ser fortalecer a relação empresa-cliente e gerar demanda pelo que está à venda.
  • Fundo de funil (BoFu): estágio final do processo de venda. O lead está perto de tornar-se um cliente e é importante dizer a ele por que seu produto ou serviço é a melhor solução para aquele caso específico.


Growth hacking: marketing orientado a experimentos. Prática de encontrar “gatilhos”/brechas (hacks) para o sucesso e criar estratégias específicas para o crescimento (growth) rápido da empresa.

Heavy users: grupo de consumidores que consome muito determinado produto ou serviço.

Key account: conta ou cliente chave, o principal da lista, que deve receber atenção especial durante ações específicas.

Key prospects: consumidores que têm maior chance de se tornarem clientes.

Lifetime value: valor do tempo de vida de um cliente, isto é, o valor que será gasto pelo consumidor durante todo o tempo em que houve alguma relação com ele.

Light users: contraponto dos heavy users, ou seja, grupo de consumidores que consome eventualmente determinado produto ou serviço, mas deve ser levado em consideração em ações de marketing.

Market share: porcentagem que representa participação em determinado mercado ou segmento. Ilustra a força das empresas.

Prospect: consumidor que pode se tornar cliente da empresa e que já demonstrou interesse nos produtos/serviços dela.

Sampling: distribuição de amostras de conteúdos e/ou produtos.

Switchers: consumidores que não são leais a nenhuma marca, mas comprar com frequência.

SWOT: sigla para strenghts (forças), weaknesses (fraquezas), opportunities (oportunidades) e threats (ameaças). Ferramenta utilizada como parte do planejamento estratégico de uma empresa. Busca encontrar vantagens e desvantagens em relação à concorrência.

MÉTRICAS

Métricas são maneiras de mensurar resultados. No marketing, existem inúmeros indicadores que podem indicar o sucesso e o fracasso das estratégias utilizadas.

CAC: é o custo de aquisição do cliente. Com ele, a empresa sabe o quanto gasta para conquistar cada novo cliente e consegue prever os custos de ações de marketing.

CPC: custo por clique. Com o CPC, paga-se por cada clique nos anúncios da empresa.

CPA: custo por aquisição. Forma de cobrança realizada tal qual o CPC, mas baseada na conversão e não nos cliques.

CTR: click through rate. Número de cliques dividido pelo número de impressões de um anúncio exibido em Facebook Ads, Google AdWords, LinkedIn Ads, etc.

ROI: return on investment. Relação entre a quantia investida e o que foi faturado ou perdido.

Ticket médio: valor que cada cliente gasta, em média, com serviços ou produtos de uma empresa. Ticket médio mensal = receita mensal / número de clientes do mês.

Web analytics: coletar, mensurar, analisar e entender dados de navegação, tráfego e de interação em uma página da internet. O intuito é otimizar o uso dos sites.

CONTEÚDO

Produção de conteúdo tem tudo a ver com marketing digital. Falamos sobre isso aqui. Entenda alguns dos conceitos amplamente utilizados dentro deste tópico.

AdWords: principal serviço de publicidade do Google no qual anúncios são exibidos em forma de links patrocinados quando alguém realiza uma busca relacionada às palavras-chave usadas nessa busca.

Alt text: texto alternativo. É o texto que acompanha as imagens no site ou blog. Identificado por motores de busca, é extremamente relevante para SEO.

Cookies: pequeno arquivo de computador ou pacote de dados enviados por um site para o navegador do usuário quando o usuário visita o site.

Domínio: base de toda a identificação profissional na Internet. É o “nome” do seu site e dos seus e-mails. Exemplo: www.suamarca.com.br - email@suamarca.com.br.

e-Book: livros eletrônicos/materiais educativos sobre determinados temas. São mais densos e extensos que posts em blogs.

Guest post: post escrito por um convidado para o blog de alguém/alguma empresa.

Keyword: palavra-chave utilizada para identificar o assunto principal de um texto. Estratégias de SEO costumam usar palavras-chave para melhorar o ranqueamento das publicações no Google.

Hiperlink: conteúdo clicável em uma página. Pode estar inserido em texto, botão ou imagem.

Link building: construção de links. Esforço de conseguir links para a sua página. Normalmente é feito através da construção de conteúdo de qualidade e relevância.

Links internos: links em um site que redirecionam o usuário a outra página do mesmo domínio.

Links externos: links em um site que redirecionam o usuário a uma página de domínio diferente.

Long tail keyword: palavra-chave de cauda longa, com um número maior de termos específicos. Normalmente utilizada por quem ainda não tem muita visibilidade, mas quer aparecer nas páginas de resultados de buscas.

SERPsearch engine results page. Página de resultados exibida em uma ferramenta de busca.

Teste A/B: teste que avalia duas versões diferentes de uma página a fim de entender qual delas é melhor aceita pelo público. 

White paper: documento que traz conceitos, causas e soluções de determinado problema. Indicado para estratégias de conteúdo mais aprofundadas.