Conteúdo bom não atrai cliente! Tem que ter mais!

O conteúdo agora é uma mercadoria. As redes deixam de ser apenas sociais, e se tornam uma ferramenta de negócios. As empresas querem ser pessoas e as pessoas querem ser marcas. Em meio a esse ambiente caótico, como se destacar nessa nova era da comunicação?

Em algum momento na história nós de marketing ficamos tão envolvidos com processos, datas e números, que perdemos a nossa essência e o nosso propósito.

Ao invés de investirmos em audiências e estratégias relevantes estamos obcecados pelas conhecidas métricas de vaidade: likes, compartilhamentos, visualizações e seguidores e medições ainda mais específicas como taxa de conversões e rankeamento nos algoritmos de busca. Quanto mais sofisticados, mais cresce a nossa obsessão.

Esses números têm seu propósito e certamente são úteis, mas ao mesmo tempo nos afastam das pessoas que são importantes para os nossos negócios, transformando os clientes e parceiros em meros dados. Em vez disso, precisamos medir o valor que acrescentamos aos momentos que realmente importam.

Hoje em dia as pessoas são altamente focadas, empoderadas e no controle total de suas experiências. Que bom!

Contar histórias requer conhecimento, emoção e conexão com o que motiva e inspira o nosso consumidor a tomar uma ação. Aqui um guia, um passo a passo para ajudar na construção das nossas histórias:



O público está no controle de suas experiências e elas acontecem com ou sem você.

Nossos clientes não são profissionais de marketing, mas apesar disso, hoje em dia eles sabem muito mais sobre o assunto. Sabem quando estão sendo manipulados e entendem que certas práticas não agregam nenhum valor a sua jornada. Esse conhecimento é um poder enorme.

É ele que os torna incrivelmente conectados e empoderados. Faz com que eles estejam no controle dos prazos, carregados de exigências e com pouco tempo. Ganham o jogo as empresas que fornecerem a orientação correta na hora e no local certo, que entregam o produto e conteúdo adequado no momento ideal, sempre pensando em formas de agregar o máximo de valor.

Por isso é sempre importante ressaltar que existe o momento certo para o cliente receber as influências do seu conteúdo. O mapeamento das informações serve como um guia para desenvolver estratégias proativas de conteúdo, histórias significativas, úteis e relevantes, além de estratégias de distribuição para alcançá-los nos momentos e lugares que realmente importam.

Tudo isso é importante para conhecer o cliente e ter um bom produto, mas se destaca aquele que o trata como mais do que um dado, uma estatística ou um lead. O cliente é uma pessoa que não pode, e não vai aceitar ser manipulada ou explorada.

Toda relação é uma via de mão de dupla. Respeito exige respeito. Ao tratar o cliente dessa forma, dando a ele conteúdos de valor no momento adequado, iremos receber em troca o que é mais valioso para nós: sua atenção, engajamento e reciprocidade.


Do planejamento à execução, teremos prazer em compartilhar com você as experiências que somamos ao longo desses 30 anos de atendimento ao varejo e atacado. Mande uma mensagem, registre as perguntas que retornaremos a você.


Referências: